ramires

Oração da Manhã – 30/05/2015 – Rádio Colméia

Galinha caipira adota 94 pintinhos em sítio de Mandaguaçu

Foto: Laudicéia Ramires

Foto: Laudicéia Ramires

No sítio da produtora rural Laudicéia Ramires, cada integrante da família tem uma atividade e responsabilidade diferente. Tem quem cuida da plantação, da horta e da casa. A divisão de tarefas é tão presente, que sobra responsabilidade até para os animais do sítio localizado na área rural de Mandaguaçu, no norte do Paraná. Um exemplo é de uma galinha caipira que adotou 94 pintinhos chocados no início de outubro. São tantos animais que a ave chega a desaparecer quando todos os filhotes estão reunidos.

Segundo Laudicéia, como o número de pintinhos é grande, a própria ave não sabe quais foram os que ela chocou. “Depois dos ovos chocarem, o meu sogro escolhe a galinha do quintal para cuidar da criação. Para os pintinhos se acostumarem com a nova ‘mãe’, ele só coloca a ração ao redor dessa galinha. Com isso, os pintinhos se acostumam e começam a segui-la”, detalha Laudiceia. “Sem querer, ela adotou todos eles”, acrescenta.

A criação poderia ser ainda maior. Foram chocados 108 ovos, mas 14 animais morreram depois de um dia de frio. E mesmo com tantos filhotinhos, a galinha não se esquece de nenhum deles. “É até engraçado de ver essa relação. Os pintinhos vão para todos os lugares atrás dela, se alimentam se ela comer a ração. No fim da tarde, quando recolhemos todos os animais, eles [pintinhos] só entram no galinheiro depois dela [galinha]. É uma relação entre mãe e filhos mesmo”, diverte-se a produtora rural.

A escolha de apenas uma ave para cuidar de todos os filhotes é realizada há cinco anos no sítio de Laudicéia. Os olhos atentos do sogro dela definem qual ave ficará responsável pelos pintinhos. Conforme a produtora rural, essa decisão leva em conta o conhecimento e a confiança entre donos e animais.  “Escolhemos a galinha que achamos que é a mais cuidadosa entre as que temos. O meu sogro sabe qual briga mais, qual come mais e aquela que está preocupada com a ordem. É uma coisa meio maluca. Digamos que é um pouco instinto e observação. Não sei como, mas deu certo em todas às vezes”, diz Laudicéia.

Depois de atingirem a fase adulta, algumas aves ficam no sítio da família Ramires, e outras são doadas para parentes e amigos. “Nós temos muitos animais e não conseguimos criar todos eles, não temos espaço e dinheiro. Por isso, distribuímos”, conta a produtora.

globo.com

Moradores registram geada em Mandaguaçu

Gramado da rua São Pedro, coberto de gelo na manhã de hoje em Mandaguaçu - Foto: Maria Zanardo Vieira

Gramado da rua São Pedro, coberto de gelo na manhã de hoje em Mandaguaçu – Foto: Maria Zanardo Vieira

1044916_494567857291444_657078376_n

Carro amanheceu coberto de gelo. Foto: Gleber Netto

O frio chegou aos municípios da região noroeste do Paraná. Na manhã de hoje (24), foi registrada em Mandaguaçu geada em alguns pontos da cidade. Com as temperaturas em queda, a média da umidade relativa do ar em todo o estado, deve ficar em torno dos 90%.

Em Mandaguaçu, entre 7h e 8h desta quarta-feira (24) a temperatura chegou a registrar 1º C no centro da cidade. Em Maringá, foi registrado -0,5ºC entre 7h e 8h de hoje. Foi a menor temperatura registrada pelo Instituto Tecnológico Simepar em Maringá desde 1997.

Paulo Ramires é eleito o site mais acessado de Mandaguaçu

Só no ano de 2011, o site Paulo Ramires teve mais de 100 mil acessos.

Na quarta-feira (16), foi realizado a entrega dos certificados dos profissionais e empresas considerados pela opinião pública, como “Qualidade Total” em Mandaguaçu.

Estive presente no evento e recebi o prêmio de site mais acessado da cidade e locutor do rádio AM de Mandaguaçu. Um prêmio que vem reafirmar a credibilidade do meu trabalho junto ao público.

Agradeço as felicitações recebidas pessoalmente ao caminhar pela cidade, também através do facebook, orkut, msn e pelo meu site.

O meu muito obrigado a todos vocês!

Prefeitura de Mandaguaçu resolve problema de “Quebra-molas fantasma”

A falta de sinalização dos quebra-molas/lombadas nas ruas do centro da cidade de Mandaguaçu é grande. O quebra-molas que têm a função de reduzir a velocidade nas vias, tem causado danos na suspensão de veículos, pois motoristas não enxergam as lombadas pela falta de sinalização. A dificuldade é ainda maior durante à noite.

O motorista Evaldo Serra (37) mora em Maringá, e tem sido pego de surpresa pelos quebra-molas ao passar por Mandaguaçu. “Fica muito complicado de saber onde tem quebra-molas aqui em Mandaguaçu. Não tem sinalização nenhuma nas vias.”

Para solucionar o problema, a Prefeitura de Mandaguaçu iniciou a pintura das lombadas, realizando a sinalização horizontal na cidade. De acordo com o prefeito Ismael Fouani, foi necessária a conclusão do recape asfáltico no centro da cidade e a pintura das faixas de pedestres, para depois sinalizar os quebra-molas. “A nossa intenção é oferecer para a população vias bem conservadas e com as devidas sinalizações. Queremos garantir a segurança para os motoristas e também para os pedestres.”

 A previsão para o término da implantação da sinalização horizontal é de uma semana.

+ Adolescente confessa assassinato de garoto de Mandaguaçu

Mandaguaçu: A cidade do papelão

Desde quando foi proibido o uso das lixeiras de rua na avenida e ninguém avisou?
Pois agora, vejo papéis e sacos plásticos espalhados pelas ruas em meio a água das chuvas.
Até quando, comerciantes e moradores da Avenida Munhoz da Rocha vão continuar com essa falta de educação?
Toda chuva é o mesmo problema! Caixas e mais caixas de papelão, sacos plásticos e afins, enfeitam a nossa estreita avenida.

 

 

 

 

 

 

 

 

Pois bem! Podemos pensar em uma solução, no curto prazo, políticas públicas consistentes para promover a reciclagem, que evitariam tanta sujeira nas ruas. Caso não houvesse resultado, o estabelecimento de multas a comerciantes e moradores que desrespeitam as regras que vigoram na cidade.
Ora… todos temos um papel na sociedade. E no caso do lixo, não é um trabalho individual, mas em conjunto. Dizemos que é uma cadeia. Porém, as ações precisam começar individualmente.
O início pode ser feito dentro de casa, no manejo do lixo orgânico, na separação dos materiais para reciclagem, no consumo consciente e no correto depósito do lixo na rua.
Meus senhores, não vamos fazer esse “papelão” novamente. Não é?

DIA DO MOTORISTA: Você refletiu sobre ele?

A Igreja Católica, no último domingo, 24, promoveu a bênção dos veículos por intercessão  de São Cristóvão. O Dia do Motorista é o tema do Artigo do mês de Julho, do Padre César Hipólito.

DIA DO MOTORISTA

O dia do Motorista é marcado em todas as paróquias com a bênção das chaves, dos motoristas e dos veículos. Sempre com a bênção vem um alerta: respeitar as leis de trânsito e os limites de velocidade. A bênção de Deus pressupõe a natureza humana, por isso, exige dos motoristas que eles também façam a sua parte, respeitando as leis criadas para regular o trânsito e os seus próprios limites.

O carro é considerado a extensão do corpo humano. Ouvimos esta frase já muitas vezes. E é por isso que muitos quando estão na frente de um volante expressam suas vontades conscientes e inconscientes, e abusam muitas vezes na certeza de que são capazes de dominar o carro. Este é o verbo: dominar. Achamos que somos capazes de dominar o carro mesmo ultrapassando os limites de velocidade e não respeitando as leis e pedestres. E quando advertidos muitos se exaltam, e são capazes de agredir com palavras e até mesmo fisicamente.

O veículo não é extensão do nosso corpo. Ele é um meio que a inteligência humana criou para ajudar a nos locomover mais facilmente. Por isso, o Vaticano criou os 10 Mandamentos do Trânsito:

1-      Não matar;

2-      A estrada deve ser uma forma de comunhão entre pessoas e não arma mortal;

3-      Cortesia e prudência o ajudarão a lidar com o imprevisto;

4-      Ajude o vizinho necessitado, especialmente vítimas de acidentes;

5-      Carros não deve ser uma expressão de poder e dominação, e uma ocasião de pecar;

6-      Convença os jovens e não tão jovens e não dirigirem quando não estiverem aptos;

7-      Apóie as famílias de vitimas de acidentes;

8-      Aproxime motoristas culpados e vítimas para propiciar o perdão;

9-      Na estrada, proteja os mais vulneráveis;

10-  Sinta-se responsável pelos outros.

Vamos fazer do trânsito um lugar de paz. Não vamos fazer dele um lugar de morte, de desentendimento, de desarmonia, de vingança, de competição. Todos têm os mesmos direitos. Vamos respeitar os de mais idade. Um dia também teremos a mesma idade deles, e vamos querer o mesmo respeito. O outro motorista não é nosso inimigo. Somos todos humanos e merecemos o respeito. Devagar. Vamos sair com antecedência. Vamos prever melhor o tempo, para não perder o tempo de vivermos esta vida.